Precisamos automatizar a defesa contra ameaças cibernéticas

By on

Em um momento de crescente complexidade de TI, as empresas e agências governamentais estão, continuamente, sendo requisitadas a fazer mais com menos, dispõem de orçamentos menores, tempo reduzido e menos mão de obra disponível. Os profissionais de segurança cibernética enfrentam a desafiadora tarefa de aumentar a proteção, aumentar a capacidade e reduzir os tempos de resposta a incidentes, enquanto os vetores de ataque e a tecnologia se multiplicam exponencialmente.

O que pode ser feito para reforçar as defesas quando os recursos estão cada vez menores? É um bom momento para reavaliar a atual postura sobre segurança cibernética e considerar como poderá ser o futuro com o aumento da automação e da orquestração de uma plataforma de software com foco no endpoint, nuvem, data centers híbridos e gerenciamento de ameaças.

Se a complexidade do cenário moderno de ameaça cibernética não fosse suficiente para desafiar até mesmo o profissional cibernético mais qualificado, o volume de novas ameaças emergentes por minuto pode sobrecarregar qualquer um. De forma generalizada, as equipes de segurança enfrentam claramente uma disparidade entre a disponibilidade de mão de obra e o crescimento da quantidade e sofisticação das ameaças. Essa lacuna é acentuada por ferramentas que forçam os analistas a ligar os pontos manualmente, o que acarreta ainda mais tempo e esforço.

A automação pode realmente otimizar os recursos de segurança. Sistemas de segurança automatizados ajudam a eliminar tarefas de rotina, permitem rápida integração de novas ferramentas e libera os profissionais para solucionar os problemas mais difíceis. A automação e orquestração podem reduzir o esforço manual em até 70% e o intervalo de resposta de dias para menos de 24 horas. Proteção, detecção e correção são melhores quando planejadas e operadas em conjunto.

O ciclo de vida de ameaças de segurança integrada envolve melhor tecnologia de proteção, localiza e impede ameaças avançadas e as corrige com mais rapidez, enquanto adapta tecnologias de proteção para realizar um melhor trabalho de bloqueio das próximas ameaças.

Reunir as ferramentas certas é uma estratégia poderosa. Ao automatizar os sistemas, aumentamos a velocidade e a precisão das respostas, alcançando o objetivo de entregar mais com menos recursos.

 

*Bruno Zani é gerente de engenharia de sistemas da McAfee

 

 

Categories: Português
Tags: , , , , ,

Leave a Comment

Similar articles

What adults call texting, kids call talking. They “talk" on their phones via chat, social comments, snaps, posts, tweets, and direct messages. And they are talking most of the time — tap, tap, tap — much like background music. In all this “talking" a language, or code, emerges just as it has for every generation only today that ...
Read Blog